segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Sou cor

às vezes prefiro o silêncio
mas transpiro palavras
por que não nasci pra dentro
e meu coração cheio, transborda
tão bonito, tão feio
num suor de palavras

rezo... danço... canto... vôo...

afinal sou feita de cor

3 comentários:

lima disse...

Querida Ramalho, deixe transbordar toda a luz que você tem.
Saudades... Lima

Anônimo disse...

Jaque, você é demais.
Seus poemas são lindos!
Luis

Adriana disse...

Feita de cor... Cor que transborda em sensibilidade...Pessoas assim nasceram para a arte de escrever..Parabéns querida Jaque!!!