quinta-feira, 22 de maio de 2008

Sim

Sim, meu amor,
eu estou aqui e estarei.

No tempo desobrigado do futuro,
onde podemos sonhar sem ser vistos.
No fio do tempo.
No espelho d´água.
No grito de socorro.
Na dor de te perder. E de tentar te reconquistar.
Na foto a ser clicada.
Na chuva e no sol
nos labirintos da mente.
No outono
nos dias frios de inverno.
Como uma música leve
que firma harmonia enquanto se suspende pelo ar.
Como uma mulher toda nova,
que eu ainda não conheço. E temo.

Sim, meu amor, eu estou aqui.
Eu estarei sempre aqui.


Nos olhos molhados.
Estarei contigo quando conhecer Ilhas do Pacífico. E Japão. E Diamantina.
Quando virar o verão.
E a primavera começar a te cobrir de flores.
Nos salões e nos prêmios de honra ao mérito.
Nos hospitais e nos congressos.
Nas rapidinhas, nas demoradas.

Sim, meu amor, eu estou aqui.
Eu estarei sempre aqui.


Nas estréias de cinema.
Nas estradas empoeiradas de minas.
Nos aeroportos que ainda conheceremos
Estarei a postos quando estiver triste.
Estarei com você como com uma serena parte de mim mesma.
A parte que te pertence sem cobrar por isso.
A parte que te cabe, que me define, que me comove.


Sim, meu amor, eu estou aqui.
Eu estarei sempre aqui.

4 comentários:

Sílvia Vilela disse...

É... Essa tocou fundo!
Bj carinhoso, Sílvia

Anônimo disse...

Como queria que isto tudo fosse para mim...

Anônimo disse...

que poema maravilhoso, jaque!

lima disse...

Querida, tenho orgulho de ser sua amiga! beijos, Lima